Jesus: O primeiro transgênero

2016-06-14-1465921714-9738229-2353558319_38f0affb6e_b.jpg

A polêmica nos círculos cristãos conservadores a respeito do acesso a banheiros é meio desconcertante. Eles falam que Deus não comete erros, como se Deus só operasse em binários, e tudo o que não é preto nem branco não pode ser coisa d'Ele.

Mas não temos um Deus preto e branco; a criação é tão cheia de cores e variações que é incompreensível que nós cristãos tentemos reduzi-lo à nossa paleta limitada de expectativas individuais.

Os principais pecadores são os cristãos que afirmam interpretar a Bíblia literalmente. É claro que eles não o fazem; eles impões seus próprios filtros sobre as histórias e frases das escrituras para que elas se encaixem em suas ideologias particulares.

Se eles realmente o fizessem, logo veriam que Jesus deve ter sido, segundo suas próprias regras exegéticas, o primeiro homem transgênero.

Vamos olhar o que nos dizem a Bíblia e o cristianismo.

O ensinamento da igreja de tempos remotos até hoje é que Jesus recebeu seu corpo de Maria. A igreja também nos ensina que Jesus é o novo Adão, nascido da nova Eva.

Eva é uma criatura fascinante por várias razões. A Bíblia nos diz que ela foi o primeiro exemplo de clonagem humana, assunto no qual toquei neste post.

Mas a diversão não para por aí. Se levarmos o relato do Gênesis ao pé da letra, como querem os cristãos conservadores, ela também é o primeiro caso de mulher transgênero. Deus pegou uma costela de Adão e criou Eva a partir daquele DNA XY. Geneticamente, ela foi criada homem, mas transformou-se em mulher.

Aí vem Jesus, e o padrão se repete, embora inverso. A recusa do primeiro casal em cooperar é resolvida quando Maria diz sim. Ocorre a segunda clonagem. O Espírito Santo vem até a segunda Eva, e a criança nasce do corpo dela. Da carne dela. Nascida com um cromossomos XX. Nascida geneticamente mulher, mas transformada em homem.

Estados americanos que não apoiam o direito das pessoas trans de escolher o banheiro que se adequa à sua identidade exigem uso dos banheiros apropriados para o "sexo biológico" da pessoa.

Podemos imaginar um futuro em que carteiras de motorista exijam não só um teste de vista, mas também um teste genético, para que os seguranças nas portas do banheiros tenham algo tangível para conferir.

E isso significa que, se Jesus e Eva estivessem andando por aí hoje em dia, talvez fazendo compras num shopping, eles teriam de trocar de banheiro. Bem, Jesus talvez até conseguisse dar um jeito de usar o banheiro das mulheres, mas a pobre Eva...

Uma rápida pesquisa sobre o prefixo "trans" nos diz que ele significa "através", "além".

Todos são termos ótimos para a pessoa de Jesus Cristo. Ele atravessa todas as fronteiras. Ele está além do nosso entendimento. Em sua pessoa, e em suas ações salvadoras, Jesus é verdadeiramente o primeiro e eterno homem trans.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.